3 benefícios de desintoxicar o seu corpo depois do Natal

Atualizado el15 de abril de 2018, 10:01

As gorduras, as proteínas, e as calorias são as protagonistas dos menus de inverno e de natal, em que não faltam os açúcares e o álcool. Se, após estes excessos você decidiu cuidar de si e fazer uma dieta de desintoxicação ou purificação, de baixa caloria e equilibrada, o seu corpo vai agradecer.

Relacionado com este artigo

Hábitos

E não só porque você vai notar em sua linha, perdendo os quilos que você possa ter adquirido durante as festas, mas porque sua saúde e sua pele voltarão a estar em plena forma. Além disso, você vai se sentir com as energias renovadas. Contamos-lhe o triplo efeito positivo de fazer uma dieta de purificação e desintoxicar seu corpo.

1. “LIMPIARTE” POR DENTRO TE AJUDA A EMAGRECER

Você sabia que uma maior ou menor facilidade para perder peso depende, em grande parte, da capacidade do corpo de eliminar toxinas? E é que os maus hábitos (excesso de gorduras e açúcares refinados, álcool, dietas desequilibradas, etc.) geram tal quantidade de substâncias residuais que podem chegar a saturar e bloquear as vias naturais de eliminação do corpo, dificultando a perda de peso.

Quando se ativam as vias naturais de eliminação de tóxicos (aumentando a freqüência das micções e evitando a prisão de ventre) e se reduzem a quantidade de toxinas que recebe o organismo (aumentando os alimentos frescos e reduzindo gorduras saturadas, proteínas e açúcares), o corpo se depura, deshincha e custa menos de emagrecimento.

Potência do seu efeito com o exercício

Praticar exercício aeróbico diário (andar, correr, dançar, nadar… ) é essencial para facilitar a queima de calorias e, com isso, a perda de peso.

Relacionado com este artigo

hábitos

Além disso, fazer esporte ajuda a desintoxicar o organismo, uma vez que o suor ajuda a eliminar toxinas através da pele. Com apenas 30 minutos por dia você vai conseguir atingir seu objetivo.

2. Depurarte melhora a sua saúde

O corpo possui um sistema de remoção e limpeza das substâncias residuais que funciona continuamente. E, dentro deste sistema, os rins, o fígado e o intestino realizam um papel fundamental. Mas se a quantidade de toxinas é excessiva, estes órgãos não dar abasto, com o que os resíduos se acumulam no sangue, provocando desconforto e transtornos.

Ativa os rins e recupere o seu bem-estar

Uma dieta desintoxicante potência a função depuradora de seu organismo , por isso que, para começar, seus rins funcionam melhor.

  • Regularás a sua tensão arterial. Se beber oito copos diários de água e tomadas, no mínimo, três peças de fruta e duas porções de legumes e aumentar a capacidade de depuração de seus rins. E é que a fruta e os legumes têm efeito diurético. Por isso se também ajudam a regular a tensão e a evitar a retenção de líquidos.
  • E também o ácido úrico. O excesso de proteínas faz com que o rim tenha que trabalhar mais, aumenta o risco de insuficiência renal e aumenta os níveis de ácido úrico.

Tonifica o fígado e ganha vitalidade

Além de depurar o fígado se destaca por ser o principal responsável pela produção de energia do organismo. Por isso, quando se está sobrecarregado você se sente cansada. Os vegetais e os cereais integrais são ricos em fibras, vitaminas do grupo B e minerais essenciais para o fígado, que te ajudarão a mantê-lo em forma com que você vai se sentir mais vital.

3. Depurar o seu organismo se nota também na sua pele

Você sabia que a pele é conhecida também como “o terceiro rim”? E é o que participa ativamente nos processos depurativos do corpo e através de secreções como suor expelido para o exterior parte das substâncias de resíduos que circulam pelo sangue.

Mas quando se acumulam muitas toxinas no sangue, a capacidade excretora da pele também sofre. E isso tem as suas consequências: mais borbulhas, pontos negros…

O que você come reflete na sua pele

Normalmente o culpado de que se acumulem tantos resíduos é uma má alimentação, já que faz com que o fígado e o rim não depuren bem e, além disso, favorece a prisão de ventre. Por isso, outro motivo por que te convém fazer uma dieta de purificação é, precisamente, para recuperar o aspecto de sua pele.

  • Mais luminosa e com menos irritações. Ao eliminar as toxinas do seu corpo, melhora a qualidade da pele. Mas, além disso, a abundância de frutas e legumes esse tipo de dieta ajuda não só a hidratarte mas que também lhe traz muitos antioxidantes. Estes componentes neutralizam os danos causados pelos radicais livres, que protegem as estruturas celulares e fazem com que a pele tenha um aspecto mais luminoso e sofra menos irritações.
  • Rejuvenescida. O excesso de energia é uma grande fábrica de radicais livres. Tem uma explicação simples: quanto mais calorias tomadas, mais tem que trabalhar, suas células na digestão e, consequentemente, mais radicais livres são produzidos. Em contrapartida, uma dieta leve para reduzir a formação destes agressores e, portanto, contribui para retardar o envelhecimento.
  • – A Hidratada e sem rugas. A escassez de líquidos se descobre rapidamente o rosto, porque este é desidratado, torna-se seca e perde a flexibilidade. Uma pele seca é mais propensa a envelhecer antes e vincos. Portanto, quando beber mais líquidos para ajudar o corpo a eliminar o excesso de toxinas, também se mantém bem hidratado por dentro.
  • Rosto mais firme. Quando você come muitos alimentos ricos em açúcares simples e farinhas refinadas, a glicose no sangue dispara. E quando isso ocorre, parte do excesso de glicose deteriora-proteínas como o colágeno, o que acabará provocando flacidez da pele. Portanto, uma dieta de purificação que restinge esse tipo de alimento ajuda a manter a firmeza da sua pele por mais tempo.

3 alimentos para combater o estresse rapidamente

Atualizado el15 de março de 2018, 11:10

Quando estas muito nervosa ou passar um mau momento você ativa o sistema nervoso autônomo, que é o que controla os músculos envolvidos na digestão.

Relacionado com este artigo

DIGESTÃO

Assim, há aqueles que sentem que o estômago se “fecha” , mas também pode ocorrer que, diante de uma situação que gera angústia, tentar acalmar os nervos comendo até mesmo mais do que o habitual (e produtos normalmente calóricos).

POR QUE O estresse PODE ENGORDAR

Vários estudos têm comprovado que os nervos “engordam” por várias razões:

  • Armazena mais gordura. Segregas cortisol e hormônio envia sinais para o organismo para liberar glicose para o sangue, assim, os músculos recebem a energia para enfrentar o “perigo”). O problema é que, na realidade, as situações que hoje nos preocupam, e enfatizam que não requerem uma resposta física importante (você não tem que escapar de um predador, por exemplo) e que não utiliza essa glicose “extra” e a armazena em forma de gordura, sobretudo, nos quadris, abdômen e cintura.
  • Você se sente inchada. Quando você está nervosa usa com mais facilidade a comida rápida e tomas menos porções de frutas e legumes e água, de acordo com um estudo apresentado pelo Fórum de Regulação Intestinal e a Sociedade Espanhola de Dietética e Ciências da Alimentação (SEDCA). Todos estes fatores fazem com que se reduza o aporte sanguíneo para o trato intestinal e produzir prisão de ventre.

O trio de nutrientes desestresantes

Combina em seus pratos as seguintes 3 nutrientes e terá cerca de menus “calmantes” que se podem vir a dar muito bem em situações de estresse:

  • Hidratos de carbono. Comer entre cinco e seis porções de hidratos de carbono complexos (como cereais integrais (massas ou arroz, batata, legumes, etc.) ao longo do dia tem uma importância especial para lidar melhor com os nervos. Este tipo de nutriente garante o suprimento de glicose ao cérebro, evitando quedas de humor que podem levar a comer compulsivamente.
  • Vitaminas do grupo B. Quando o corpo está sob tensão, gasta com maior rapidez dessas vitaminas e por isso requer um maior aporte. São necessárias para o sistema nervoso e para que o organismo possa utilizar a energia dos hidratos de carbono. Ovos, cereais integrais, germe de trigo, levedura de cerveja e nozes são boas fontes. Consome também cogumelos, frutas e verduras.
  • Vitamina C. Em situações de estresse as necessidades de vitamina C aumentam, por isso você deve tomar pelo menos três peças de fruta por dia e duas porções de legumes (uma delas em estado bruto (raw). Tenha em conta que as melhores fontes são frutas cítricas, kiwi, abacaxi, etc) e legumes frescos (alface, tomate, pimentão, etc).

Proteínas relaxantes

Você deve tomar alimentos ricos em proteínas como carnes magras, peixe, ovos, legumes e frutos secos, já que nesta situação o seu corpo reclama deste macronutriente, mas é que além disso, esses alimentos são ricos em triptofano.

Esse aminoácido essencial é a chave para manter os nervos à risca, pois ajuda a aumentar a síntese de serotonina, um neurotransmissor envolvido nos estados de ânimo (seu défice relacionado com a depressão).

Além das proteínas não deve se esquecer do Omega 3, já que sua falta provoca nervosismo, falta de concentração e as defesas baixas. O peixe azul e as nozes são uma excelente fonte.

O CHOCOLATE ajuda

O magnésio é um mineral necessário para a síntese de serotonina e tem propriedades relaxantes, o que ajuda a manter o ritmo cardiovascular e a relaxar os músculos. A deficiência de magnésio provoca irritabilidade e insônia. Você vai encontrá-Lo nas nozes, cereais integrais, vegetais de folha verde e também no chocolate negro mínimo 70% de cacau).

Assim é, você pode tomar chocolate para acalmar seus nervos , mas embora os benefícios do cacau estão sobejamente demonstrados não pode abusar: uma onça por dia. Pensa que o chocolate também é rico em gordura e seu consumo sem controle, te levaria ao aumento de peso.

22 maneiras de vencer a ansiedade de comer

Atualizado el04 de junho de 2018, 22:59

Talvez sofras, muitas vezes, como muitas outras mulheres, o impulso de comer o que não necessita. Ainda mais se você parar para dieta: o seu corpo (e a mente) percebe menos do fornecimento calórico e reage segregando maior quantidade de hormônio da fome para ser forçado a dar-lhe as calorias habituais. E, por cima, a crise econômica se torna mais difícil. “O que tem que ver?”, devem estar pensando.

O Instituto Médico Europeu de Obesidade assegura que as incertezas que gera o presente contexto social fazem com que quase todos segreguemos menor quantidade de alguns neurotransmissores (serotonina, dopamina e noradrenalina) , cuja falta nos gera ansiedade e um apetite incontrolável , como forma de aliviar o stress.

Relacionado com este artigo

DIETA

O que fazer diante de tudo isso? Em qualquer loja de alimentação natural –até mesmo em supermercados– você vai encontrar preparados que prometem vencer essa ansiedade pela comida e modificar a sua silhueta. Mas nestas questões a magia não existe.

No entanto, existem numerosos estudos científicos que descobriram fórmulas naturais que ajudam a evitar esses impulsos nefastos. Os reunimos para que você possa convertê-los em seus “truques” pessoais para não fracassar diante da comida.

Vence a ansiedade por comer com esses truques

Tira o lápis e papel e aponta todos os nossos conselhos. Não perca nem um, nem outro!

1. Mastiga chiclete

Um estudo realizado no Reino Unido pelo Wrigley Science Institute mostra que fazê-lo diariamente pode reduzir cerca de 1.000 calorias da dieta mensal. Isso acontece porque sua doçura acalma a ansiedade por comer. E o ato físico de mascar nos acalma, ao aumentar o fluxo sanguíneo para o cérebro.

2. Estévia em vez de açúcar

Este adoçante natural, muito mais doce do que o açúcar, mas com zero calorias, regula os níveis de glicose no sangue e a pressão, reduz a ansiedade por comer e evita o acúmulo de gordura. O corroboram vários estudos da Universidade de Aarhus, da Dinamarca.

Relacionado com este artigo

RELATÓRIO

3. Amendoins crus e nozes

Os amendoins crus –tome um punhado ao dia– são os alimentos mais ricos em niacina. A carência desta vitamina B3 leva a ansiedade e a insónia.

Boa parte dessa niacina perde-se os amendoins cozidos. E quanto às nozes, da Universidade Estadual da Pensilvânia (EUA). UU.) demonstrou que são boas contra o nervosismo. Asseguram que se deve aos seus ácidos graxos ômega 3, que ajudam (basta tomar 3 ou 4) para baixar a pressão quando há uma ponta de estresse.

Também são eficazes (a tomá-los diariamente) se a ansiedade se cronifica, e a fibra que contêm sacia.

4. Alcaçuz: 3,5 g por dia

Elimina a ansiedade por comer e reduz a fome e a gordura acumulada no organismo. O seu abuso pode causar arritmia e hipertensão arterial.

5. Menos bebidas excitantes

Café, chá, refrigerantes com açúcar… as tomadas e você se sente ativada. Mas então, essa ativação se torna mais ansiedade. Em contrapartida, tomar um copo de leite e a acalma. E o sumo de tomate natural acalma a fome horas extras.

6. Um pouco de picante

De acordo com a Universidade de Purdue, Indiana (EUA). UU.) a substância que faz picante ao chile, chamada capsaicina, reduz a sensação de fome e aumenta o gasto calórico. É através da termogénese: esse ingrediente faz liberar mais calor ao corpo, empregando energia extra com isso, o que também nos faz sentir mais saciado.

7. …mas não diariamente

Outros estudos apontam que o mesmo efeito pode ser atribuído a qualquer picante como a pimenta) adicionado à comida. Mas se são adicionados a todas, o corpo se acostuma e não reage igual. Precisaria tomar mais picante, o que pode prejudicar seu estômago.

8. Comer a cada 3 horas te resta quilos

Pesquisadores da Universidade de Scranton (Pensilvânia, EUA. UU.) são controlado por um ano para 250 pessoas, divididas em dois grupos: um com sujeitos obesos ou com excesso de peso e outro formado por pessoas de peso normal, metade dos quais havia desbastadas, pelo menos, 13, 6 quilos e mantido esse descida durante mais de cinco anos.

Descobriram que os sujeitos do segundo grupo, realizam em média 3 refeições principais por dia, entre as que tomam pelo menos dois lanches. Em contrapartida, as pessoas obesas se limitam, em sua maioria, as três refeições “grandes” diárias.

Relacionado com este artigo

DIETAS

Como não coçam nada entre as refeições, chegam a essas cenas principais com mais ansiedade e ingerem nelas maior quantidade de alimento. Portanto, comer freqüentemente (coisas leves) ajuda.

9. Algo de soja todos os dias

Cientistas malagueños do Centro de Investigação Biomédica em Rede-Fisiopatologia da Obesidade e Nutrição engordam cerca de ratos até que apresentaram obesidade e diabetes. Depois deram-lhes isoflavonas –uma substância de soja– duas semanas. Os que tomaram mais, tinham menos peso e gordura hepática, assim como resistência à insulina e mais leptina, o hormônio “tira a fome”.

10. As cores da fome: evita o vermelho e o amarelo

“As cores vendem e as cores bem sucedidos vendem mais”. É o slogan do Color Marketing Group, uma organização americana que trabalha para que aqueles que criam produtos saibam de que as cores devem “vesti-los” para levar a comprar. Resultado de suas pesquisas é que muitos restaurantes, principalmente de comida rápida, são decorados em vermelho e/ou amarelo: ao que parece, quando o cérebro processa-põe em marcha os mecanismos que nos fazem sentir fome. Evite esses tons em sua sala de jantar e, na sua cozinha.

11. Picles: poucas calorias para petiscar

Trata-Se de vegetais marinados em sal e depois conservados em vinagre que ficam crocantes e requerem uma mastigação vigorosa. Duas circunstâncias que, de acordo com vários estudos, aumentam a sensação de saciedade.

12. Come-se com garfo grande e prato

De acordo com professores da Universidade de Utah (EUA). UU.), há um desfasamento entre o instante em que uma pessoa tem comido muito e o momento em que seu estômago se sinta cheio. Para determinar isso, o cérebro se fixa em elementos externos. E recebe a indicação visual de ter comido mais, se os talheres são grandes ou o prato fica vazio. Portanto, melhor que este seja pequeno.

13. Alimentos, o que aumenta a serotonina

Está comprovado que a falta de serotonina –um neurotransmissor– gera angústia, irritabilidade… e ansiedade, que pode manifestar-se para a comida. Há alimentos que aumentam os seus níveis. São os ricos em um aminoácido essencial, o triptofano: abacaxi, banana, espinafre, aspargos, tofu

14. …e outros com a fibra inulina

Todos os alimentos ricos em fibra e insaciáveis, sobretudo quando se adicionam fibras solúveis, que absorvem mais água. Em especial se estas fibras contêm um carboidrato chamado inulina. Acontece com a chicória, o alho-poró, a cebola, o cardo, a alcachofra e o alho.

15. Infusões antikilos que acalmam o apetite voraz

  1. Pasiflora: misture uma colher de sopa, com duas de tila e dois de camomila. Tomar 4 xícaras ao dia.
  2. Flor de laranjeira: despeje uma colher de sopa de pétalas secas em uma xícara de água fervente, deixe esfriar e coe.
  3. Valeriana: é a mais calmante. Se não gosta do seu cheiro forte, você pode optar por os comprimidos.
  4. Melisa: tomado uma hora antes das principais refeições evita comer com apetite.

16. O pão com azeite de toda a vida

O ácido oleico, um ácido graxo abundante no óleo de oliva, ajuda a saciar o estômago.

Relacionado com este artigo

Dieta

Assim, conclui um estudo da Universidade da Califórnia em Irvine (estados unidos). UU.), que revela que, uma vez que esse ácido alcança o intestino, se transforma em um composto, a oleoiletanolamida, que retarda a fome. Assim que não está mais incluir pão (integral e de centeio) com azeite no café da manhã ou lanches.

17. Dormir bem se sacia

Dormir menos de 7 ou 8 horas aumenta os hormônios que estimulam o apetite, de acordo com a Sociedade brasileira de Endocrinologia e Nutrição.

18. Come algo quando notes aquela inquietação suspeita

Para evitar o posterior pouco saudáveis. Por isso, se apesar de realizar as 5 doses ao dia, te assaltam entre elas a vontade de comer, o inteligente é um lanche leve. Cerque-se com boas opções: barrinhas de cereais, vinhos desengordurados de que você pode beber um copo a qualquer momento, palitos de legumes… ou você pode ter até chocolate.

Sim, o chocolate com mais de 75% de cacau: o sabor amargo impede de comer muito de uma vez só.

19. O aroma a hortelã ajuda a fazer dieta

Os odores ativam as células nervosas do nariz, que enviam diferentes sinais para o cérebro. A Fundação para o Tratamento e a Investigação do Olfato e Paladar de Chicago (estados unidos). UU.) demonstrou que as pessoas que consomem o aroma de hortelã-pimenta (você pode ter em mãos um óleo essencial com esse cheiro) a cada duas horas comem cerca de 2.700 calorias a menos por semana.

20. Um único cor cheia antes estômago

A variedade de cores em um prato garante mais absorção de nutrientes. Mas em épocas de especial ansiedade, evítala. O Laboratório de Alimentos e Marcas da Universidade de Illinois (EUA). UU.) ofereceu um prato com gomas de cores diferentes para algumas pessoas e um com gomas de uma cor a outra. As primeiras comeram o dobro procurando experimentar todos os sabores.

21. Sal a andar ou…

Pesquisadores da Universidade de Exeter (Reino Unido) simularam um ambiente de trabalho para 78 pessoas que consumiam chocolate com regularidade. Parte delas andaram a passo vivo 15 minutos em uma esteira e, em seguida, lhes deu uma tarefa que deveriam completar-se em um ambiente de trabalho. Os outros então voltaram antes de receber a mesma tarefa. Todos tinham uma tigela de chocolate por perto. Dos que fizeram o exercício consumiram metade de chocolate que os que então voltaram.

22. …junte-se a aérobic

A realização de qualquer exercício ajuda a reduzir a sensação de fome. Mas os cientistas da Universidade Britânica de Loughborough comprovaram que, enquanto no desporto aeróbico é estimulam duas das principais hormônios que regulam o apetite, o resto de exercício só estimula uma. A consequência é que com a atividade aeróbica, a fome diminui mais e essa redução dura mais tempo. Portanto, se você não consegue se controlar com a comida, a natação, a bicicleta ou caminhar te ajudar mais do que fazer exercícios de musculação.